domingo, 11 de novembro de 2018

Possibilidades

Não venham 
retirar de mim
todas as possibilidades
de angústia
de vertigem
de solitude

todas as impossibilidades
de sucesso
de felicidade
de amadurecimento

nem venham
cercear as minhas
ilegítimas expressões  
ilegais condutas
ilibados cochos

nada de anuência
para comigo
minha pessoa
posso causar mal
muito
irrestrito e irreversível
mal
a mim
e outros
e ninguém...

é certo, vou passar da
barbárie a decadência 
sem conhecer a civilização*... 
   

domingo, 4 de novembro de 2018

Superficiais em nossas profundezas


Não passarei dos seus limites
dos meus limites passarás,
nos nossos pontos limítrofes
contidos estaremos,
irregulares limites
ultrapassaremos
sempre em nossa própria direção,
ilhados no farol que não ilumina 
luz nenhuma refletida, invertida,
sempre à margem, rasa,
de um lado oposto, suposto,
superficiais em nossas profundezas
estamos
observando o cata-vento
de giro contrário 
parados ponteiros,
os intransponíveis limites  
que involuntariamente criamos,
passo dos seus limites
e espero
não se limite,
mesmo que volta
não tenha.

domingo, 28 de outubro de 2018

Noite


                eu apaguei a noite
  ela apagou aquela noite
          eu apaguei na noite   
      ela apaga minha noite
   eu quis apagar sua noite
              ela apagou noite adentro
            eu apago na noite através                                                        na noite apagamos depois...
         

terça-feira, 16 de outubro de 2018

Tentando


Venho tentando manter
a atenção
o foco
a sutileza
dos detalhes,
tentando
o equilíbrio 
um certo entendimento
vago e disperso
perto do que
não se distingue,
venho tentando
mas é complexo
e diverge
e distancia,
os pros e
os contras
nos seus reclames,
eu clamo
o meu direito
o direito de um qualquer,
reclamo
meu direito a dúvida
ao espanto
e ao erro
que nunca se sabe
e que doravante
se perca
mude
e volte sóbrio
para admitir
enganos possíveis.

sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Importante


É importante dizer,
creio que é bom salientar
que o seu otimismo,
para a questão posta
mudará tão, nada ou menos
a situação caótica
que o meu pessimismo apregoa;
e nem cabe aqui elogiar
os insultos, a desavença
dos correligionários
(meros otários),
fico aqui em toda minha inércia
e distância, navegando na improdutividade...
e você(?)
bem,você deve sorrir muito 
e postar como se fosse,
como se estivesse amando
e sendo amada
na iminência da erupção,
repito: é importante que você
esteja sorrindo, close
para mostrar
o prêmio
o nobel
o passaporte
as coroas suecas...
e eu(?)
merda, vou ali atazanar
um pseudo amigo para que me empreste
a Rupi Kaur e aquele cd de jazz étnico,
lamento,
mas, não vai dar pra ‘curtir’ nada
além das ‘aleluias’ na lâmpada do poste. 

terça-feira, 9 de outubro de 2018

Você se ateve


É porque você 
se ateve
somente
ao todo,
menosprezando
os pormenores,
pra tudo você
tem que achar
uma justificativa
plausível;
vamos deixar
que descambe
deslizar ladeiras
ignorar esquinas 
destrambelhar
as verdades insolúveis,
insisto:
de quando em quando,
destranque  
o ignóbil que te flerta
o óbvio que brilha e cega
a treva que silencia
aprofunde-se
atreva-se!

domingo, 9 de setembro de 2018

Impropérios


 impropérios
      injúrias
 vociferações
          vozes
              escorrem
                      em
                desperdícios,
     naqueles pequeninos
                        mudos
                   e imundos  
                      mundos 
                 subvertidos,
                    paralelos... 
      no labirinto ainda 
                resta uma escapatória
alegrem-se!

sexta-feira, 31 de agosto de 2018

Desencantamento

vinde e
sê a
lírica
divisa
entre a
dúvida a 
súplica o
onírico, eu
cri no
desencantamento!