domingo, 23 de abril de 2017

Outras tantas palavras



Palavras circulam
labirintos inconfessos;
percorremos juntos
e você sabe a imensidão   
de cada uma delas,
eventualmente relembramos
as que foram deixadas soltas,
as insinuadas baixinho,
todas aquelas substituídas por gestos,
olhares e carinhos,
escondidas com magia,
as reveladas no escuro e no silêncio,
as que se perdiam no calar,
dos lábios esquivas ou saboreadas,
só nós sabemos o quilate 
e o brilho de cada uma
a poeticidade que colocamos
sílaba por sílaba,
foram inúmeras
as vezes que me senti perdido
diante os fragmentos caídos
de frases ocasionais,
outras tantas palavras
reverberam aqui dentro
à espera dos seus olhos que as escute  
e que sempre serão
para todo
somente suas.

domingo, 30 de outubro de 2016

O futuro de ontem



Entre o
carpe diem e a
frustração existencial
o futuro de ontem
ficou grudado,
tal qual jatobá
no céu da boca,
nos dentes o azedume
do tamarindo,
para além dos entendimentos
sugeridos pelas bulas,
silêncio e desprezo
advindo do descontentamento.  

Mexerica



No rol das
idiossincrasias
idiotizantes e  
inúteis
descasco uma mexerica;
 atenho-me
em cuspir sementes
e atiçar o fogo
com sua casca,
melhor que ver sua
cara azeda no sofá,
mastigando desenhos & seriados.

Charminho



Deste jeito  
‘criança’
você acaba
abrindo uma
‘doceria’
de tanto que fazes
‘melado’
e eu, nem o tacho vou
‘rapar’.

Momento ausente



é sempre no
momento  
ausente
que eu me
apresento
insuficientemente
ou quase
por abolir
o instante
adjacente.