terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Pé de Romã


Contentamento indescritível

O do pé de romã

Recebendo a chuva do

Meio-dia,

O limpava como

Não é possível

Fazermos com

Nossos erros

Nossas sacanagens

E a canalhice que

Nos impigem

(Será que de fato sou e não enxergo?)

BIRD of Paradise

Parker & Miles.

Seven. Incompletude.

Números e lugares

Que se somam

Que nos divide

E que pelo/no meio

(fim (?) melhor não dizê-lo)

Nos subtrai partes

Essenciais,

Outras que nem sabíamos.

Soerguidos os galhos,

Frutos e raízes agradecidos,

Será uma tarde amena,

A minha difere

Assim como nas atrações

Reles e quase místicas.

“... Deixa-te estar canalha...” A. dos Anjos

Um comentário:

isaias de faria disse...

é isso aí, produzir a literatura.
o mundo tem de ter produção poética também. não é obrigação, mas é bom.