sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Situações

Destas situações

Ando gostando

Muito.

Limita-nos os

Enganos do coração,

Os deveres.

Ter o quê perder,

Sabê-lo,

Entanto,

Escolhas fazer.

Soltar-se na loucura,

Desprender,

Consumir vontades arrebatadoras

Ou por elas ser consumido,

Não se importando com

Épocas errôneas,

Para que não haja lamentos

Nem tenha que condenar,

Nem perdoar,

Ser perdoado.

O tudo é sempre

Um vão,

Um vulto,

O quê não se pode ter.

Inatingível.

Um comentário:

isaias de faria disse...

é isso aí, escrever escrever. esse poema eu não conhecia, a obra se faz aos poucos, sempre, sem obrigação integral mas é bom ela ser feita com continuidade... por falar nisso, e as fotografias ?